Exercício para Reforma Íntima (Coisas Mínimas)

 Coisas Mínimas

“... Pois se nem ainda podeis fazer as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras? – Jesus” (Lucas, 12:26)

Pouca gente conhece a importância da boa execução das coisas mínimas.
Há homens que, com falta superioridade, zombam das tarefas humildes, como se não fossem imprescindíveis aos êxitos dos trabalhos de maior envergadura. Um sábio não pode esquecer-se de que um dia, necessitou aprender com as letras simples do alfabeto.
Além disso, nenhuma obra é perfeita se as particularidades não forem devidamente consideradas e compreendidas.
De modo geral, o homem está sempre fascinado pelas situações de grande evidência, pelos destinos dramáticos e empolgantes.
Destacar-se, entretanto, exige muitos cuidados. Os espinhos também se destacam, as pedras salientam-se na estrada comum.
Convém, desse modo, atender às coisas mínimas da senda que Deus nos reservou, para que a nossa ação se fixe com real proveito à vida.
A sinfonia estará perturbada se faltou uma nota, o poema é obscuro quando se omite um verso.
Estejamos zelosos pelas coisas pequeninas, pois são parte integrante e inalienável dos grandes feitos. Compreendendo a importância disso, o Mestre nos interroga no Evangelho de Lucas: “Pois se nem podeis ainda fazer as coisas mínimas, porque estais ansiosos pelas outras”.
(Caminho, verdade e vida)



Somos compostos de vários pouquinhos. No corpo físico, são milhares de células, órgãos, tecidos e líquidos, que devem estar bem para que não fiquemos doentes.
No campo espiritual e comportamental, somos compostos dos mais diversos sentimentos, mágoas, amores e medos.
É necessário estar consciente de que somos responsáveis em consertar e garantir o funcionamento de tudo isso. Somente nós. Cada peça é nossa responsabilidade.
A partir disso, podemos entender que quando em várias situações almejamos o grande, quando não fazemos nem o pequeno. Por exemplo, quando quero me reconciliar com alguém, porque vou esperar um abraço, se por anos não dei nem um Olá. O OLÁ, é o pequeno gesto. Se eu ainda não consigo dizer Olá, posso orar pela pessoa, para que sejam amenizadas as dores e ressentimentos desse desentendimento. Se tenho uma dívida, posso pagá-la parceladamente.
Cada parcela é o pequeno gesto em busca do meu objetivo.
Pensemos nos nossos problemas como um grande bolo. Que possamos fatiá-lo para que possamos refletir e aprender com cada pedaço.
Sendo seguidores de Jesus e O tomando como exemplo de ser humano perfeito que devemos ser, podemos refletir sobre as nossas necessidades de mudança. Não podemos ter a pretensão de dizer que estamos prontos e não necessitamos melhorar. Por maior que seja a mudança que necessitamos, ela começa sempre com o primeiro passo.
A felicidade não está no destino da viagem ou em um pote de ouro no fim do arco-íris, a felicidade é a viagem.

Tânia Scherer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
O Seu comentário é muito importante para nós!
Porém, dados pessoais e pedidos com nomes e histórias não serão publicados, para não expormos ninguém. Nem sempre respondemos a todos os contatos e e-mail, mas certamente colocaremos a todos em oração.
Gratidão!