Exercício para Reforma Íntima (Você já olhou sua janela hoje?)

Um casal recém-casado mudou-se para um bairro muito tranquilo. Na primeira manhã que passam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:
“Que lençóis sujos ela está pendurando no varal! Está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar roupas!”
O marido observou calado. Três dias depois… também durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e novamente a mulher comentou com o marido:
“Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!”
E assim, a cada três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.
Passando um mês a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:
“Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, será que uma outra vizinha lhe deu sabão? Porque eu não fiz nada.”
O marido calmamente respondeu:
“Não, hoje eu levantei mais cedo e lavei a vidraça da nossa janela!”
E assim é… tudo depende da janela através da qual observamos os fatos.

(Autor desconhecido)

🌹🌹🌹

Como é fácil resolver os problemas dos outros não é mesmo? Sempre temos uma solução para a amiga que sofre por amor, para o amigo que não sabe economizar, para as famílias que não se entendem.
"Levamos um minuto para avaliar a vida dos outros e uma vida inteira sem entender a nossa."
Porque fazemos isso? Porque resolver o problema do outro não exige uma mudança no nosso comportamento, o outro que mude. Mas como assim o outro vive a anos o mesmo problema? E não consegue mudar? Mas e você, a quantos anos vive os seus problemas e também não consegue mudar? Porque a mudança dói, a mudança dá trabalho.
Os exercícios da semana e a própria ativação do Pai Nosso tem como propósito a reforma íntima. É poder olhar para todas as mágoas, raivas guardadas no coração, coloca-las na janela e então limpá-las. É perceber que eu não lavo as minhas janelas. É ir lá e passar o dedo na janela e ver o quanto está sujo.
E isso na maioria das vezes dói, porque não entendemos como essas coisas passaram por nós sem que prestássemos atenção. Como pude deixar minha janela tão suja e meu coração tão magoado?
Mas isso acontece muito, porque estamos muito longe da perfeição.
Magoamos pessoas sem perceber, criticamos, mesmo que seja só em pensamento. E isso faz tanto mal. Faz mal para a pessoa que recebe essa energia ruim, e faz mal para a gente, que com o tempo vamos nos apropriando de uma verdade, a crença mais perigosa: que tudo que fazemos é certo e que o que outro faz está errado. Viramos pessoas cheias de razão.
No exercício dessa semana vou propor que, a cada crítica que façamos sobre alguém, devo anotar algo que eu preciso melhorar, e iniciar esse processo.

Tania Scherer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
O Seu comentário é muito importante para nós!
Porém, dados pessoais e pedidos com nomes e histórias não serão publicados, para não expormos ninguém. Nem sempre respondemos a todos os contatos e e-mail, mas certamente colocaremos a todos em oração.
Gratidão!