Exercício para Reforma Íntima (Juízo das coisas)


A parábola da menina e as duas maçãs
Uma garota segurava em suas mãos duas maçãs.
Sua mãe entrou e lhe pediu com uma voz doce e um belo sorriso:
– Querida, você poderia dar uma de suas maçãs para mamãe?

A menina levanta os olhos para sua mãe durante alguns segundos, e morde subitamente uma das maçãs e logo em seguida a outra.
A mãe sente seu rosto se esfriar e perde o sorriso.
Ela tenta não mostrar sua decepção quando sua filha lhe dá uma de suas maçãs mordidas.
A pequena olha sua mãe com um sorriso de anjo e diz:
– A mais doce é essa!
Pouco importa quem você é, que você tenha experiência, seja competente ou sábio.
Espere para fazer seu ‪‎julgamento. Dê aos outros o privilégio de poder se explicar.
Mesmo que a ação pareça errada, o motivo pode ser bom.

✨✨✨✨✨

“Não esmagará a cana quebrada e não apagará o morrão que fumega, até que faça triunfar o juízo. (Mateus, 12:20).
Jesus nos mostra inúmeras vezes como somos imaturos, tentando julgar e condenar a todos. Nos mostra o quanto não temos o conhecimento total dos fatos e insistimos em julgar cada situação.
É importante voltar a isso quantas vezes forem necessárias. Devemos refletir, se Deus que é tão paciente com nossos erros, agisse da forma que agimos com nossos semelhantes.
Erramos muito na vida, é na dinâmica errando e acertando que crescemos, melhoramos e evoluímos. Onde está nossa piedade? Nossa humanidade?
A própria oração do Pai Nosso vem com essa lição: “Perdoai as nossas ofensas ASSIM COMO nós perdoamos a quem nos tem ofendido.”
Veja que estou colocando uma condição, o Pai me perdoa, da mesma forma que perdoo os meus devedores. Cada vez que orar, preste atenção em como você perdoa os seus devedores.
Não julgue, o que é certo para você pode não ser o certo para o outro. Não estou falando das regras básicas, não matarás, não roubarás. Estou falando do dia a dia. Se coloque na condição de discípulo de Cristo, daquele que ainda tem muito o que aprender.
Guarde seus julgamentos para você e treine manter o silêncio sobre as situações. Analise se realmente é importante que você se manifeste.
Não somos donos da verdade e o exercício dessa semana é treinar o silêncio. Na briga não tomar partido. Na educação dos filhos, não condenar cada atitude. Espere que a vida lhe mostre se o que aconteceu foi bom ou ruim.

Tania Scherer

2 comentários:

Olá!
O Seu comentário é muito importante para nós!
Porém, dados pessoais e pedidos com nomes e histórias não serão publicados, para não expormos ninguém. Nem sempre respondemos a todos os contatos e e-mail, mas certamente colocaremos a todos em oração.
Gratidão!