Atitudes que comovem

Em tempos em que os comentários em torno dos jovens se resumem a irresponsabilidade, desleixo, nomofobia, alguns fatos merecem destaque.
Como o ocorrido com o estudante Walter Carr, de apenas vinte anos.
Ele conseguiu um emprego em uma empresa de mudanças, distante trinta e dois quilômetros de sua casa.
Na véspera do seu primeiro dia de trabalho, seu carro enguiçou. Sem dinheiro para o conserto, ele não teve dúvida.
Venceu a longa distância a pé. Com um detalhe: ele não queria chegar atrasado. Então, saiu de casa à noite e andou horas e horas.
No caminho, foi abordado por um policial que, impressionado por sua determinação, o levou para tomar café da manhã.
A cliente Jenny Lamey esperava os funcionários da empresa de mudanças às oito horas.
Às seis e meia, foi surpreendida com um policial à sua porta, trazendo o jovem Walter. Ela ficou emocionada com o que lhe contou o agente.
Walter logo se envolveu na atividade que lhe competia. E contou que passara a infância em Nova Orleans, que a família se mudara para outra cidade, depois que tivera a casa destruída pelo furacão Katrina, em 2005.
Por isso, era tão importante aquele emprego, o primeiro depois de muito tempo.
Eu não posso descrever o quão emocionada fiquei com Walter e a história dele, disse a cliente.
Mal consigo imaginar essa caminhada solitária, no meio da noite. Quantas vezes ele deve ter pensado em desistir e voltar para casa.
Ao saber da história, Marklin, o chefe executivo da empresa de mudanças foi se encontrar com o novo funcionário. Após conversar, lhe entregou as chaves do seu próprio Ford Escape, ano 2014.
Marklin disse que tudo o que o rapaz fizera nesse dia é exatamente a imagem da empresa: Coração e coragem.
Walter Carr ganhou a admiração de muitos, especialmente depois que a cliente divulgou o fato nas redes sociais.
Desejando se formar em dezembro, na área de saúde, afirmou o estudante: Não importa qual seja o problema, você pode superá-lo. Nada é impossível.
* * *
Exemplos que comovem: a firmeza do jovem; também do seu empregador, que se sensibilizou com seu esforço.
Se estamos a braços com muitas dificuldades, com percalços que parecem intransponíveis, serve-nos como estímulo a renovado ânimo.
Exatamente porque pensamos que se ele pode, nós também podemos. Se ele está lutando para vencer, podemos fazer o mesmo.
Se temos sob nossa responsabilidade muitos subordinados, nos estimula a uma melhor avaliação do desempenho de cada um.
Ter essa empatia no buscar conhecer a história pessoal de cada funcionário; verificar seu crescimento na empresa; o aprimoramento do trabalho que executa.
Por fim, este fato nos alerta a que não julguemos as pessoas por uma certa porcentagem, porque, em verdade, temos no mundo um número expressivo de jovens que estudam, trabalham, queimam pestana para se preparar para vestibulares, concursos, provas seletivas.
Grande parte deles é arrimo de família, é responsável por irmãos menores, presta serviço voluntário nas suas horas de lazer.
Em síntese, os jovens são do bem. É a geração nova que assume, a pouco e pouco, a administração do milênio nascente.

Redação do Momento Espírita, com base em notícia colhida em https://istoe.com.br, de 18.7.2018.
Em 19.9.2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
O Seu comentário é muito importante para nós!
Porém, dados pessoais e pedidos com nomes e histórias não serão publicados, para não expormos ninguém. Nem sempre respondemos a todos os contatos e e-mail, mas certamente colocaremos a todos em oração.
Gratidão!